Vida e Missão neste chão

Bem-vindos/as em Açailândia! Somos irmãos missionários, religiosos e leigos/a, caminhando com o povo maranhense. Ser padre aqui significa assumir os desafios e os sonhos das pessoas e da natureza que geme nas dores de um parto. Esse blog é uma tentativa de partilhar a caminhada e levantar perguntas: o que significa missão hoje? Onde mora Deus?
Vamos dialogar sobre isso. Forte abraço!
E-mail: padredario@gmail.com; Foto: Marcelo Cruz

giovedì 18 settembre 2008

Todos têm direito a trabalhar e viver


(uma reflexão a partir do Evangelho de Matheus 20)

“Sexta-feira um trabalhador chegou no Centro de Defesa. Tinha um corte largo que atravessava seu rosto. Disse que foi pedir seu salário ao fazendeiro, mas recebeu só ameaças e uma facada”

“O meu amigo finalmente ‘fichou’ na siderúrgica. Mas todo dia que passa é um alívio por não ter acidentes: trabalhando por cima das grades, naquele calor, é muito fácil cair e quebrar um braço ou uma perna. Lá dentro a gente é como peças de uma engrenagem, como muitos pedacinhos de gusa descartáveis...”

“Lá no interior o povo está arrendando terra demais. É para os grandes produtores. Mas os pequenos depois ficam com nada, só a pinga na vila... Alguns já dizem que moramos nas ‘favelas rurais’...”

O evangelho desse domingo é atualíssimo!
Por que estais aí desocupados?” É uma frase só, mas inspirou toda uma Campanha da Fraternidade, com o título “Sem trabalho porquê?”. Nesse mês que vai fechar a propaganda política, são essas as perguntas para se fazer aos candidatos, e não uma esmola para sobreviver um dia a mais!
Eu vos pagarei o que é justo”. Mas o que é justiça? É somente dar a cada um a justa compensação pelo que fez? Não: a justiça de Deus reza que todos têm o direito a trabalhar e viver.
Portanto justiça é proporcionar a cada um as condições e os meios (o trabalho) para viver dignamente. É dever do Estado garantir o trabalho.
E a propriedade de cada um vale só se tiver uma sua “função social”: é permitida a propriedade privada somente se usada para o proveito da comunidade! Isso está na Doutrina Social da Igreja, mas também na Constituição Federal (cap. 5, inciso XXIII). A propriedade privada não é um direito incondicional e absoluto.
Tu os igualastes a nós”. Justiça é feita: finalmente o trabalhador é igualado em dignidade ao dono da terra. Os últimos são os primeiros a poder falar o que pensam e esperam. Com Jesus, hoje podemos denunciar: o trabalho escravo é pecado social! A indústria de mineração no corredor de Carajás e nas outras regiões do País é um estupro de nossa terra-mãe!

A parábola diz que o patrão sai continuamente de casa. Preocupa-se para com os trabalhadores, pára na praça, dialoga com eles.
Recentemente, os patrões da terra da área tocantina ‘saíram de casa’ também. Dessa vez, porém, foi para levantar a voz e voltar a defender seus direitos: numa “Carta Aberta” fizeram requerimento oficial à União para que nossa região saia da Amazônia Legal, o teto máximo para desmatamento e produção agrícula passe de 20% a 65% e, enfim, seja permitido reflorestar com... eucaliptos (tipicamente brasileiros!).
Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence?”. Na parábola essas palavras estão na boca de Deus; hoje parece que os grandes donos da terra queiram tomar o lugar de Deus.
Mas Ele vai pedir conta disso...



1 commento:

RSM ha detto...

Ciao!
Concordo inteiramente com este seu post, infelizmente vivemos o que se pode chamar de prostituição do trabalhador, que se mata de tanto produzir em 10, 12, 14 horas diárias, seu DSR (que deveria ser o Domingo) acaba sendo na segunda, perdendo a oportunidade de estar coma família ou os amigos, além de perder todos os eventos que acontecem no fds.
A insalubridade e periculosidade é outra coisa absurda que assistimos de braços cruzados, já que nos omitimos de ajudar ao próximo; só nos movemos quando o calo apertado é o nosso.